A campanha de Sarkozy na mídia estadounidense

rfi português

Sarkozy é “cínico” e sua campanha “repugnante”, dizem jornais americanos

O jornal The New York Times condena a estratégia do presidente Nicolas Sarkozy de atrair eleitores da extrema-direita e afirma que a campanha do presidente francês Nicolas Sarkozy para a reeleição se tornou “desesperada e repugnante”. As críticas são publicadas um dia após outro jornal americano, o Wall Street Journal, qualificar em um editorial o chefe de estado francês de Sarkozy Le Pen, em referência ao líder histórico da extrema-direita francesa.

“A campanha do presidente Nicolas Sarkozy para sua reeleição se tornou ligeiramente desesperada e mais que ligeiramente repugnante”, escreve o diário nova-iorquino em seu editorial.

Para o jornal, o presidente-candidato Sarkozy tenta diminuir sua diferença para o rival socialista François Hollande “atacando os imigrantes estrangeiros, as importações estrangeiras e até mesmo a alimentação dos muçulmanos franceses”.

“Sarkozy acredita que talvez seja uma boa tática política ceder às exigências do racismo e da xenofobia”, afirma o jornal.

The New York Times lamenta que o novo “tom violento” da campanha já tenha se traduzido em uma reação positiva de Sarkozy nas pesquisas porque “quem perde é a sociedade francesa”.

“A França passa por um momento difícil, mas Sarkozy poderia fazer uma campanha mais digna”, escreve o diário sustentando que o presidente tem a seu favor o sucesso de sua política interna, em referência à reforma do sistema de aposentadoria, e de sua política externa, com a bem sucedida operação na Líbia.

“Seu principal adversário tem idéias vagas e propostas econômicas totalmente irrealistas”, julga o The New York Times sobre as propostas de François Hollande. Apesar disso, o jornal acusa Sarkozy de ter preferido jogar “baixo”.

Em relação à polêmica sobre a carne halal, consumida pelos muçulmanos de acordo com o ritual da religião islâmica, o jornal afirma que depois de criticar o tema evocado primeiramente pela candidata da extrema-direita Marine Le Pen, Sarkozy acabou se apropriando do assunto para atrair votos. “É cruel e destrutivo submeter a religião ao ridículo”, escreveu o The New York Times.

O jornal conclui que de maneira “lamentável”, Sarkozy não tem o menor problema de ser superficial e cruel só para conquistar eleitores do partido extremista Frente Nacional.

Cinismo

Na terça-feira, o Wall Street Journal já tinha denunciado a disposição do presidente francês de endurecer o tratado de Schengen, que garante a livre circulação de pessoas em 27 países europeus, para proteger a Europa e a França do fluxo de imigrantes clandestinos.

A ameaça do presidente de suspender a participação da França no acordo foi qualificada pelo jornal de “retórica anti-imigração perfeitamente cínica”.

Anúncios

Sobre ziulfabiano

Filho de pai Argentino e mae Brasileira, vivendo em Madrid e acompanhando o que se passa por aqui e por ali.
Esse post foi publicado em Política e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para A campanha de Sarkozy na mídia estadounidense

  1. Ana Laura disse:

    Hehehe! O jornalista deve ser francês! Porque, por aqui, pelo que eu ando ouvindo, ninguém gosta muito nem do Sarkozy e nem do Hollande. De maneira geral esta todo mundo insatisfeito com os candidatos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s