O Glam Metal em Dakota do Norte

Ganhei no último natal o livro Fargo Rock City, de Chuck Klosterman, que fiz questão de ler o mais rápido possível.
Livros sobre Heavy Metal não são muito comuns, e sobre o chamado Glam Metal muito menos. Isso já faz com que esse livro, que é uma mistura de ensaios e crônicas com toques autobiográficos mereça atenção.

Durante os anos 80, o Glam Metal foi dos gêneros musicais de maior êxito comercial em todo o mundo, com grupos como Motley Crue, Poison, Bon Jovi, Van Halen, entre outros, vendendo milhões de cópias. Mesmo assim, esse estilo sempre foi ignorado e até mesmo ridicularizado pela mídia especializada. Mesmo dentro do universo do Heavy Metal, o Glam é visto com ressalvas e muitas vezes acusado de não ser “true”, ou de ser “coisa de viado”.

Seja como for, o livro de Klosterman tenta analisar esse fenômeno dos anos 80 desde o ponto de vista de um adolescente de uma cidade minúscula do estado Dakota do Norte, um dos mais agrícolas dos Estados Unidos. O adolescente no caso é o próprio Chuck Klosterman, que nos conta a importância que essas músicas tiveram em sua vida. As conversas entre amigos, discutindo qual seria a melhor música de determinado grupo, ou por que tal grupo era metal e outro não e mesmo até que punto uma letra obviamente misógina pode ser apreciada. Conversas que eu também tive com muitos amigos, com a diferença que eu sempre preferi o Thrash Metal. Me senti identificado com muitos momentos vividos pelo joven Klosterman, mesmo que tenha crescido em um ambiente muito mais urbano e menos religioso que ele, o rock, em seus mais diversos formatos tem esse poder de unir pessoas que de outra maneira não teriam absolutamente nada em comum.

O Heavy Metal teve seu ápice midiático e comercial nos anos 80, com bandas que se tornaram datadas e se adptaram mal ao que veio depois, principalmente após a chegada do grunge, que era justamente o oposto de todos aqueles excessos de Poison, Motley Crue e cia. Mesmo assim, já era hora que alguém escrevesse sobre esse momento tão singular da música pesada com alguma seriedade, e sobretudo, com paixão.

Anúncios

Sobre ziulfabiano

Filho de pai Argentino e mae Brasileira, vivendo em Madrid e acompanhando o que se passa por aqui e por ali.
Esse post foi publicado em Cultura e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s