XINGU

Minha mãe assistiu ao filme “Xingu” e me escreveu o e-mail abaixo, que me deixou com mais vontade ainda de ver o filme.

 

 

Fui assistir ao filme Xingu.
Filmaço.
O Cao Hamburguer tem o péssimo costume de me emocionar. Fui às lágrimas em vários momentos do filme. Por questões pessoais mais do que políticas. Lembrei das aulas do professor Altenfelder, do Carlos Moreira e até do velho Tom Muller.

Imagine, o Parque foi criado em 1961. Eu fui estudar antropologia dez anos depois, então era tudo muito recente e os kreen Akarore estavam sendo dizimados. A gripe e a febre sempre chegam primeiro. Os irmãos sofreram todo tipo de pressão e resistiram. No final, eles salvaram muita gente. Eu entendo que os Caiabi só sobreviveram como nação indígena graças ao parque.
Bom … me emocionou.
O filme está muito bem feito e com um enorme respeito aos índios. Transpira Rondon: “Morrer sim, matar jamais.” Não folcloriza, não idealiza, mas toma o partido deles, sem dúvida nenhuma. Por outro lado, não há outro partido possível. O contato com o branco é sempre letal para o índio e o filme deixa isso claro. Seja pela gripe, pela bala ou pela escravidão, não há saída para o índio.

O filme também não apresenta o parque como panacéia e nem como delírio, mas como uma alternativa, possível naquele momento, para garantir a sobrevivência de grupos indígenas, dentre eles os Caiabi.

Ele utilizou atores indígenas e os atores que fazem os irmãos estão muito convincentes. A partir de agora o Orlando vai ficar com a cara do Felipe Camargo. Rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs! E o João Miguel que faz o Cláudio está muito bem também.
Quando eu vi o Noel Nutels chegando na aldeia eu o reconheci. Escolheram o ator perfeito para representá-lo. Rsrsrsrsrsrsrsrs! Não precisei ouvir o nome. Falei pro papai: é o Noel Nutels. É era.
A última cena é contundente: não era possível evitar o contato. Só foi possível chegar antes dos outros …

Anúncios

Sobre ziulfabiano

Filho de pai Argentino e mae Brasileira, vivendo em Madrid e acompanhando o que se passa por aqui e por ali.
Esse post foi publicado em Cinema e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s