Mais de 17 milhoões de desempregados na zona do euro

do Estadão online

Taxa de desemprego na zona do euro atinge recorde de 10,9% em março

O número total de pessoas sem trabalho na região somou 17,365 milhões em março

Danielle Chaves e Carlos Mercuri, da Agência Estado

LONDRES – A taxa de desemprego nos 17 países que usam o euro subiu para um recorde em março, quando 169 mil pessoas perderam o emprego. Segundo dados da Eurostat, a taxa de desemprego aumentou para 10,9%, de 10,8% em fevereiro, em linha com as previsões e igual à taxa registrada em abril de 1997, que era a mais alta desde o início da série, em 1995.

O número total de pessoas sem trabalho somou 17,365 milhões em março, um aumento de 1,732 milhão em comparação com março do ano passado e o maior número desde 1995.

A taxa de desemprego subiu de 23,8% para 24,1% na Espanha e permaneceu em 21,7% na Grécia, embora esse último dado seja de janeiro.

Nos 27 países da União Europeia, 193 mil pessoas perderam o emprego em março, levando a um total de 24,772 milhões de desempregados, um recorde desde o início da série, em 2000. A taxa de desemprego na UE ficou inalterada no recorde de 10,2%.

Alemanha e Itália
Na Alemanha, a taxa de desemprego, em dados ajustados sazonalmente, permaneceu em 6,8%, mesmo porcentual de março, o qual havia sido revisado 0,1 ponto porcentual para cima. A estimativa de economistas ouvidos pela Dow Jones era de que o desemprego em termos ajustados continuasse em 6,7%.

O número de pessoas sem trabalho, ajustado sazonalmente, subiu em 19 mil em abril, após queda revisada de 13 mil em março, ante declínio de 18 mil informado preliminarmente. Economistas ouvidos pela Dow Jones tinha estimado queda de 10 mil em abril.

A tendência positiva para o mercado de trabalho continua, apesar de a economia ter perdido o dinamismo”, disse o chefe da agência federal, Frank-Juergen Weise.

A taxa de 6,8% de desemprego permanece a mais baixa, em termos ajustados sazonalmente, desde que o dado começou a ser apurado, em 1998.

Na Itália, o desemprego subiu para 9,8% março, maior nível em mais de uma década. Em fevereiro, em dados ajustados sazonalmente, o desemprego foi revisado para 9,6%, de 9,3% estimados anteriormente. Em março de 2011, o índice foi de 8,1%.

A alta acelerada no desemprego na terceira maior economia da zona do euro reflete a perda de 35 mil empregos desde fevereiro, enquanto o número de pessoas sem emprego cresceu quase o dobro. Cerca de 88 mil vagas foram perdidas desde março de 2011, enquanto 476 mil mais italianos estão classificados como desempregados, de acordo com a Istat. Exceção nos países da Europa Ocidental, a Itália não tem benefícios universais para desempregados, o que significa que muitos que gostariam de trabalhar não se registram como sem emprego.

A taxa de mulheres à procura de colocação no mercado de trabalho subiu para o recorde de 52,7% das mulheres entre 15 e 64 anos, ante 50,2% de cinco anos atrás. A taxa de emprego dos mais jovens subiu para 35,9%, dado que a Istat enfatiza ser apenas parte dos italianos entre 15 e 24 anos que fazem parte da força de trabalho ativa. A taxa de emprego dos mais jovens foi a maior para o mês de março desde o início da série do dado, que começou a ser apurado em 2004, e também a maior em 20 anos da pesquisa quadrimestral de emprego do país.

A economia italiana se contraiu desde o último verão, uma vez que o consumo interno declinou, as condições de crédito foram apertadas e apenas os exportadores contribuíram para o crescimento econômico. As informações são da Dow Jones 


Anúncios

Sobre ziulfabiano

Filho de pai Argentino e mae Brasileira, vivendo em Madrid e acompanhando o que se passa por aqui e por ali.
Esse post foi publicado em Crise e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s